19 novembro, 2007

Ponte

8 Comments:

Anonymous Geraldo Anízio de Caicó said...

Doce amor
Meu amor é tão doce...
É esse favo de mel;
Não troco nosso amor
Por um pedaço do céu!
As pessoas nos olham
E deduzem em comum:
Somos tão parecidos
Como nós, mais nenhum.
Nosso amor,tem a forma mais simples
Não escondo nem mesmo as dores...
É por isso que eu digo, pra sempre
Doce amores
Doce amores.
Geraldo Anízio

19 de nov de 2007 23:23:00  
Anonymous Geraldo Anízio said...

Vir aqui, é como visitar meu violão.Buscar cada nota, num feixe de palavras , no tocar das cordas e no tinir dos sons. É quase bossa-nova.É tão somente seguir pela via láctea, em busca da melhor canção perdida no infinito da imaginação!
Do coração? Sim, do coração.
Palmas para Rosemari. Aplausos! Muitos aplausos!

19 de nov de 2007 23:51:00  
Anonymous Geraldo Anízio said...

Vir aqui, é como visitar meu violão.Buscar cada nota, num feixe de palavras , no tocar das cordas e no tinir dos sons. É quase bossa-nova.É tão somente seguir pela via láctea, em busca da melhor canção perdida no infinito da imaginação!
Do coração? Sim, do coração.
Palmas para Rosemari. Aplausos! Muitos aplausos!

19 de nov de 2007 23:51:00  
Blogger Ricardo Rayol said...

quero atravessar a ponte e arrebentá-la.

20 de nov de 2007 13:35:00  
Blogger Zé Carlos said...

Tem gente que escolhe caminhos onde não existem pontes... observe.
Abraço

20 de nov de 2007 22:32:00  
Blogger Rosa Maria said...

Visitei este blog pela primeira vez e fiquei com muita pena de não saber fazer poesia tão bela quanto esta que aqui encontrei.

Voltarei!

21 de nov de 2007 15:34:00  
Blogger DE-PROPOSITO said...

'Desejo atravessar a ponte'
---------------
Cada um tem a sua maneira de interpretar as coisas.
_Porquê esse desejo tão repentino de atravessar a ponte?!... É que é um caminho que todos temos de percorrer, isto é: 'atravessar a ponte'.
Desejo que fiques bem.
E a felicidade por aí.
Manuel

21 de nov de 2007 16:50:00  
Anonymous Geraldo Anízio said...

A ponte, Rosemari, é algo que liga uma parte a outra.Às vezes, ao imaginário; às vezes, ao real.Há uma ponte infinita que interliga às duas margens.Ambas têm que resistir às turbulências, o peso cuja engenharia foi matematicamente calculada para os alicerces do coração.Eu ousei e linkei!Demais!

21 de nov de 2007 23:53:00  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home