12 janeiro, 2008

Madrugada


rosemari hauenstein ruch
imagem: Dionisio Leitão

9 Comments:

Blogger Desambientado said...

Que bela madrugada! Silenciosa, extasiante, melodiosa.

Bom fim de semana.

13 de jan de 2008 10:45:00  
Blogger Ricardo Rayol said...

Ah as madrugadas, onde todas as criações se multiplicam

14 de jan de 2008 10:04:00  
Blogger Layla Lauar said...

Seu lindo poema estrelou a noite opaca, sem brilho. Lindo, lindo. Amei!

16 de jan de 2008 02:21:00  
Blogger Nilson Barcelli said...

Uma madrugada bem solitária... sem o mel das abelhas...
Belo poema cara amiga, vc continua a escrever magistralmente.

Beijinhos.

16 de jan de 2008 10:11:00  
Blogger BANDEIRAS said...

Meu amor,

Depois de agora, apenas gostaria de ser feliz, mas me parece impossível.
Serei eu a única que sofro por amor?
Vim te linkar.
abs

17 de jan de 2008 23:48:00  
Blogger Desambientado said...

Tornei a encontrar-te na madrugada...eterna poetisa do amanhecer.

Bom final de semana.

19 de jan de 2008 14:59:00  
Blogger Cadinho RoCo said...

Este diálogo com a lua é tão sombrio.
Cadinho RoCo

21 de jan de 2008 16:05:00  
Blogger Falando de Amor said...

Madrugada é mais um belo poema de tua infinda inspiração...linda demais. Bjos e belas madrugadas querida poetisa!

24 de jan de 2008 14:55:00  
Blogger cristino martim crus said...

..."Saúdo-vos, ó rosas, estrelas solenes.Rosas, rosas, jóias vivas do infinito, bocas, seios, vagas, almas prfumadas, lágrimas, beijos!Grãos e pólen de lua, ó doce lótus sobre os lagos da alma, saúdo-vos, estrelas solenes." F.Garcia Lorca

o nosso beijo...

3 de abr de 2008 08:02:00  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home